Conforto para os pés: por que focar na ergonomia?

Conforto para os pés: por que focar na ergonomia?

Mesmo sendo a base do nosso corpo e garantindo a estabilidade, os pés muitas vezes são negligenciados. Afinal, quem nunca comprou um calçado desconfortável e depois se arrependeu? Saltos, bicos finos, materiais inadequados ou solados mal estruturados estão muito longe de promover o conforto para os pés.

Aliás, você já precisou fazer uma caminhada com um salto ou calçado mal ajustado nos pés? Mesmo que o sapato não seja apertado, qualquer pessoa que já calçou um tênis, sapatilha ou mesmo sandália sem a adequação necessária conhece as consequências: calos, bolhas e muito desconforto.

Esses, no entanto, são apenas os sinais mais aparentes (e mais fáceis de serem resolvidos) relacionados ao uso de calçados inadequados. Existem vários problemas decorrentes da falta de qualidade dos sapatos, como o surgimento de unhas encravadas, fungos, má postura, dores pelo corpo, desalinhamento da coluna e até mesmo dor de cabeça.

Quer entender melhor quais os problemas que afetam a saúde de seus pés e saber como combatê-los, mantendo ao mesmo tempo o seu estilo básico e arrasando nos looks? Então continue a leitura do nosso post!

Por que devemos pensar no conforto para os pés?

Como explicamos, são os nossos pés que sustentam todo o peso corporal. Além disso, como qualquer outro elemento do organismo, possuem músculos, articulações e ligamentos. Entretanto, nem sempre damos a eles a atenção necessária. 

Isso se reflete em vários problemas, alguns mais aparentes — como calosidades e bolhas, por exemplo —, outros nem tanto, mas com complexidade maior. Um calçado inadequado, causa, além do desconforto, problemas de postura, dores lombares ou nos ombros. 

Pisar de forma errada — o que acontece quando o calçado é desconfortável, ou mesmo em função do desgaste do solado — também causa problemas nos membros inferiores, na pélvis e em outras partes do corpo. Por isso, é preciso ter muita atenção ao sapato!

Além do conforto e da qualidade dos materiais, é necessário também ter atenção à finalidade de uso. Um calçado próprio para práticas esportivas precisa ter um sistema de amortecimento mais resistente do que outros usados em situações em que longas caminhadas não são necessárias. 

Outro cuidado importante diz respeito aos materiais. Determinados produtos aumentam a transpiração e podem fazer com que os pés fiquem úmidos. Isso causa desde odores desagradáveis até fungos, que muitas vezes são difíceis de serem tratados. 

Vale destacar que não são apenas os calçados que interferem na saúde dos pés — embora sejam os principais responsáveis por problemas. É preciso usar meias adequadas, capazes de absorver a transpiração e que não apertem, evitando problemas circulatórios. 

Existem várias causas para dores nos pés, como lesões externas ou em algum dos ossos ou articulações, reumatismo ou mesmo pisada errada. Uma doença comum é a fascite plantar, provocada pela falta de proteção e conforto para os pés, que está diretamente relacionada ao calçado.

Quando a causa da dor não é eliminada ou controlada, o problema pode se refletir em outras partes do corpo, além de causar alterações de humor e sensação de cansaço. 

Entenda a anatomia do pé

Cada um de nossos pés tem 26 ossos e 20 músculos, além de ligamentos, tendões e tecidos que atuam como amortecedores, os quais absorvem o impacto das pisadas no chão.

Sua estrutura compreende:

  • tarso, que é a metade posterior do pé, a qual contém um conjunto de sete ossos. O peso do corpo é sustentado por dois ossos maiores: o tálus, que é articulado com a tíbia; e o calcâneo, que forma o calcanhar;
  • metatarso, formado por cinco ossos pequenos e paralelos. O primeiro metatarso tem papel importante para apoiar o peso corporal;
  • falanges dos dedos dos pés, sendo três falanges em cada dedo, com exceção do primeiro dedo, que possui apenas duas. Assim, no total, cada pé tem 14 falanges.

Confira os tipos de pés

Os pés podem ser cavos ou planos. No primeiro caso, há um aumento da elevação do arco, que pode ser causado por fator congênito (ou seja, o indivíduo já nasce assim), neurológico (como desequilíbrio muscular e paralisias) ou pós-traumático (em decorrência de acidentes ou fraturas).

Quem tem o pé cavo geralmente sofre com dores no calcanhar, pois sobrecarrega essa região com o peso do corpo, e tem mais dificuldade em encontrar calçados confortáveis, justamente em função do arco elevado. Uma alternativa é utilizar palmilhas próprias para isso a fim de proporcionar conforto para os pés.

Já no caso do pé plano, o arco é rebaixado. Na maior parte dos casos, não há queixas de dor ou outros problemas associados. 

Descubra qual o seu tipo de pisada

A forma como você pisa pode causar desalinhamento na coluna e dores em diversas partes do corpo. Confira:

  • a chamada pisada pronada ocorre quando o pé, ao tocar o chão, sobrecarrega o peso na parte interna, próximo ao arco. Essa condição causa lesões e desequilíbrio, especialmente quando a pessoa utiliza um calçado com a sola mais dura;
  • já na pisada supinada ocorre o inverso, ou seja, a lateral externa do pé absorve a maior parte da carga corporal. Nesse caso, o calçado deve ter amortecimento;
  • a pisada neutra é a ideal, pois distribui o peso do corpo de maneira igual, não causando problemas.

Os sapatos comprometem a saúde dos pés?

Agora que você entendeu melhor a anatomia dos pés e descobriu que tanto a forma de pisar quanto os traumas podem interferir em sua saúde, fica mais simples perceber o quanto um calçado inadequado causa problemas. 

Desde o formato até o tipo de solado, tudo interfere na saúde dos pés e pode se refletir em outras partes do corpo. Como já explicamos, o uso de um calçado inadequado pode causar diversos problemas relacionados ao equilíbrio e à postura, e ainda causar estresse ou mau humor. 

Todas as pessoas devem adotar algumas precauções ao escolher o calçado, mas essa dica é ainda mais importante para aquelas que passam boa parte do dia em pé, como professores, enfermeiros ou profissionais de atividades relacionadas ao atendimento ao público. 

Assim, é fundamental ter atenção ao modelo escolhido, verificando se ele se adapta ao formato de seu pé, à sua pisada e também à sua atividade, pois tudo isso vai garantir conforto para os pés. Confira algumas dicas para uma boa escolha:

  • é imprescindível que o sapato se ajuste de forma adequada ao pé, evitando desconfortos, surgimento de bolhas e calosidades;
  • saltos altos devem ser destinados a ocasiões muito específicas e não serem usados diariamente. Afinal, eles podem provocar hiperlordose (acentuação da curva natural da coluna), síndrome femoropatelar nos joelhos (que afeta a rótula) e condromalácia patelar, além do risco de entorse nos tornozelos;
  • se for usar salto, prefira os mais largos, que promovem maior equilíbrio;
  • sapatos com bico fino deixam pouco espaço para os dedos, o que pode levar ao desenvolvimento de deformações, como joanete, além de calos e bolhas;
  • sapatilhas e modelos do tipo rasteirinha são confortáveis, mas não possuem amortecimento adequado para caminhadas mais longas ou para quem permanece muito tempo em pé, podendo causar problemas como desgaste nas cartilagens do quadril, joelho, coluna e tornozelo;
  • o material do calçado, especialmente se for fechado, também é importante, evitando que os pés sofram com transpiração excessiva;
  • o solado deve ser produzido em material de boa qualidade, antiderrapante e preferencialmente com um pequeno salto ou reforço na região do calcanhar (em torno de 1,5 centímetro), o que evita a sobrecarga de peso nesse local.

Como você viu, muito mais do que um desconforto, um sapato inadequado pode comprometer a saúde dos pés e ocasionar problemas em outros pontos do organismo.

Isso acontece tanto em função da postura inadequada, quanto pelo fato de que existem, nos pés, vários pontos que se refletem em outros órgãos do corpo. Essa é, aliás, a base da terapia conhecida como reflexologia.

Saiba mais sobre reflexologia

A reflexologia é uma técnica de massagem em determinados pontos que correspondem a outras regiões do organismo. Inspirada pela medicina chinesa, a prática consiste em pressionar determinadas regiões dos pés, mãos, orelhas e face. 

O objetivo é reduzir tensões, dores e ansiedade, além de estimular a circulação sanguínea. Assim, da mesma forma que a pressão correta nos chamados pontos reflexos proporciona benefícios ao organismo, pressões inadequadas (causadas pelo uso de calçados inapropriados) podem ocasionar efeitos inversos e comprometer o seu bem-estar.

Por que focar na ergonomia e optar por sapatos confortáveis?

O uso de calçados desconfortáveis, como já dissemos, compromete a postura, causa problemas em diversas partes do corpo, além de acentuar a sensação de cansaço. Entre as doenças causadas pelo uso de sapatos inadequados estão:

  • mialgia;
  • tendinite;
  • distensão;
  • fascite plantar;
  • neurite;
  • bursite de calcâneo;
  • metatarsalgia;
  • calcâneo doloroso;
  • calosidade e deformações, tanto nas unhas quanto nos próprios pés. 

Quando essas condições não são tratadas, existe risco de evoluírem para lesões mais importantes, que causam impactos em diversas partes do organismo. Assim, a melhor alternativa é evitar o seu surgimento, apostando em calçados de maior qualidade e adequados para seus pés, além de outros cuidados, como alongamento e fortalecimento muscular.

Descubra o que os seus pés dizem sobre sua saúde

Você sabia que é possível identificar alguns problemas em seu organismo observando as condições dos pés? Confira:

  • o inchaço nos pés pode indicar problemas como hipertensão, insuficiência cardíaca ou renal. Tenha atenção caso essa condição seja frequente ou persistente;
  • rachaduras nos pés podem ser decorrentes da falta de cuidados com hidratação e uso de calçados muito baixos, como rasteirinhas e chinelos. No entanto, também é possível que sejam causadas por doenças como diabetes e psoríase;
  • cãibras frequentes também precisam ser investigadas, pois podem ser fruto de má alimentação ou indicar outras doenças;
  • a cor das unhas pode indicar a presença de fungos, que causam micose, doenças inflamatórias ou infecções. Se perceber coloração anormal, procure um profissional para investigar a razão;
  • dedos sobrepostos ou ligeiramente tortos podem ser resultantes de calçados apertados ou indício de artrite reumatoide.

Confira alguns cuidados importantes com os pés

Além de investir no conforto dos calçados, é fundamental ter atenção a alguns cuidados, como o uso de meias adequadas, higiene e hidratação. Veja nossas dicas:

  • evite calçados apertados, sempre. Normalmente, as pessoas têm os pés com tamanho ligeiramente diferente. Então, ao comprar um sapato, observe se não aperta um dos pés, o que pode comprometer a sua pisada e levar a problemas futuros;
  • após o banho, certifique-se de secar muito bem os pés, tanto as unhas quanto as regiões entre os dedos, para evitar a proliferação de fungos. Esse é um cuidado ainda mais importante se você vai calçar meias ou um sapato fechado em seguida;
  • apare as unhas em formato reto e procure manter as cutículas. Isso evita encravamentos e infecções. Caso sinta algum desconforto, o ideal é procurar um podólogo, que é um profissional especializado em saúde dos pés;
  • massageie os pés com um creme ou óleo hidratante, pressionando levemente cada ponto relacionado às zonas reflexas. Além de ajudar na circulação sanguínea, a prática deixa os pés mais macios, contribui para evitar calosidades, relaxa e alivia o estresse;
  • depois de utilizar um calçado durante um dia inteiro, ou por muitas horas, procure deixá-lo em local arejado por algum tempo. Isso ajuda a evitar a proliferação de fungos e odores desagradáveis. Pela mesma razão, também é interessante não utilizar o mesmo sapato todos os dias.

Como usar sapatos femininos confortáveis sem perder o estilo?

Agora que você já conhece os riscos dos calçados inadequados e a importância de preservar o conforto para os pés, deve estar se questionando qual sapato escolher para manter o estilo no dia a dia, não é?

A principal orientação é seguir as nossas dicas, evitando saltos maiores do que dois centímetros, procurando modelos que se ajustem aos pés sem apertar e dispensando bicos finos demais.

Também preste atenção aos materiais utilizados. Você sabia que já existem diversos modelos de sapatos veganos que prezam pelo conforto e sustentabilidade?

Esses calçados, considerados cruelty-free, ou seja, livres de crueldade animal, não são fabricados com subprodutos derivados de animais, como couro, lã, camurça ou peles, por exemplo. A tecnologia já possibilita o uso de materiais sintéticos para tais finalidades, desde resíduos plásticos até derivados de cortiça. 

As opções são as mais diversas, desde tênis adequados às práticas esportivas ou mesmo para o dia a dia, até botas estilosas, produzidas de forma artesanal (à mão), que podem ser utilizadas em qualquer ocasião! Há, inclusive, modelos de tamanco ou sandálias, com salto grosso, que prezam pelo equilíbrio, sustentabilidade e conforto.

Assim, existem sapatos confortáveis, fabricados de forma sustentável e sem materiais derivados de animais, próprios para cada ocasião! Dos mais básicos, passando por estampados e modelos retrôs, como as sandálias birken, até os clássicos, é possível compor o seu look sem abrir mão do conforto e da saúde dos pés.

De qualquer maneira, ao comprar um novo par, preste atenção a algumas regras para assegurar o conforto para os pés:

  • qual a finalidade do calçado? Lembre-se que nem todos os modelos são adequados para caminhadas, práticas esportivas ou mesmo para longos períodos em pé;
  • se em seu local de trabalho o uso de sapatos altos é obrigatório, prefira modelos com salto mais grosso ou anabela;
  • é verão? Opte por sandálias e calçados abertos, que evitam a umidade excessiva e deixam sua pele respirar;
  • no frio, ao contrário, o ideal é usar um sapato fechado. Nesse caso, certifique-se de usar meias de qualidade, que absorvam a transpiração, e de manter o calçado em local arejado após o uso;
  • observe o formato de seu pé, evitando adquirir calçados que apertem os dedos ou que façam com que você coloque mais peso no calcanhar, quando caminha. 

O que considerar para fazer uma boa compra?

Além de avaliar a finalidade de uso do calçado e o seu conforto para os pés, vários elementos podem interferir em sua decisão de compra. Preço, facilidade de compra pela internet, materiais utilizados ou mesmo a preocupação com a sustentabilidade da empresa fabricante são alguns deles. 

Os calçados veganos, que citamos, são uma das preocupações de quem adota a filosofia cruelty-free. Afinal, não são apenas os alimentos que fazem parte dessa tendência. Quem de fato apoia e pratica o veganismo não compra produtos produzidos a partir de animais, ou que tenham sido testados neles. Essa, inclusive, é uma das bases da moda vegana

Seu princípio é utilizar roupas, acessórios e calçados que não sejam produzidos a partir da exploração animal. Muitas vezes, os materiais são derivados de resíduos, como o plástico, ou mesmo de outras roupas ou sapatos que seriam descartados. Trata-se de uma tendência de moda sustentável, que utiliza a criatividade e investe em modelos atemporais. 

Assim, ao fugir das tendências, as peças conquistam vida útil maior. Os modelos costumam ter produção artesanal, que preza pelo respeito aos pequenos produtores, e seguem a tendência do slow fashion. Outras características desses produtos são:

  • uso de matérias-primas recicláveis;
  • adoção de tecnologias não poluentes;
  • reciclagem ou destinação ambientalmente responsável de resíduos;
  • preocupação com a qualidade dos produtos, fazendo com que eles tenham uma durabilidade maior;
  • uso de fibras naturais, cultivadas sem pesticidas;
  • condições dignas de trabalho para todos os integrantes da cadeia produtiva.

É importante lembrar que a qualidade do produto é um diferencial, em função de vários aspectos. Por exemplo, um item fabricado com boas matérias-primas tem maior durabilidade, o que reduz o desperdício e necessidade de descarte.

Além disso, com a vida mais longa, você não precisa substituir o produto com tanta frequência, o que faz com que o preço pago inicialmente se dilua ao longo do tempo de uso. Assim, ao comprá-lo, é possível remunerar melhor o fabricante e toda a cadeia produtora, com a garantia de que o item vai durar muito tempo!

Essa é uma maneira de garantir um guarda-roupas sustentável, com o seu estilo e com peças de boa qualidade e durabilidade. Muitas pessoas desconhecem isso, mas a indústria da moda causa vários impactos ambientais, seja na forma de produção e uso de matérias-primas, seja no estímulo ao consumo. 

Por isso, o consumo consciente deve, sim, ser praticado em seu dia a dia e em suas compras — inclusive de calçados! É importante descobrir como praticar o desapego e investir em seu conforto, saúde e, principalmente, na certeza de saber que está valorizando ações sustentáveis.

Quais cuidados devemos ter com os pés?

Como você percebeu, é fundamental focar na ergonomia na hora de escolher um sapato. Além disso, vale a pena analisar a finalidade do calçado (esporte, lazer, trabalho ou festa, entre outros) e escolher um modelo de acordo com a necessidade de amortecimento e o tempo em que você permanecerá em pé. 

A escolha do material, como explicamos, é um diferencial importante, seja para promover conforto para os pés, evitando a transpiração excessiva, seja para garantir a sustentabilidade em toda a cadeia de produção. 

Além disso, vale a pena sempre observar aspectos como inchaço, calosidades e descamação da pele. Você pode optar por produtos de beleza naturais e veganos para esfoliar e massagear os pés, garantindo a suavidade da pele, sem rachaduras ou asperezas. 

Preste atenção, no entanto, às suas unhas, que na presença de umidade se tornam um ambiente propício à proliferação de fungos. O mesmo vale para os vãos entre os dedos e até mesmo a sola do pé. Depois do banho, enxugue com cuidado antes de calçar meias ou sapatos!

Caso observe mudanças na coloração ou crescimento das unhas, é importante procurar um dermatologista, que poderá identificar a presença de micoses e orientar sobre as melhores opções de tratamento.

Inchaços nos pés também devem ser investigados, assim como problemas ortopédicos e dores.

A higienização adequada é essencial para evitar problemas ou dores. Se sentir cansaço ou sensação de peso nas pernas, um escalda-pés com água quente, óleos essenciais e sal grosso é um grande alívio. Você também pode utilizar algumas ervas, como:

  • hortelã ou eucalipto, que combatem o cansaço e reduzem a sensação de peso nas pernas;
  • calêndula, que tem ação antibacteriana e antisséptica;
  • arruda, que ativa a circulação;
  • arnica, que reduz dores;
  • alecrim, canela e cravo, que são revigorantes;
  • erva-cidreira, erva-doce, capim-limão e camomila, que ajudam a relaxar.

Depois desse ritual de relaxamento e descanso, vale apostar também na reflexologia na hora de hidratar os pés. Assim você reduz estresse e ansiedade, cuidando da beleza ao mesmo tempo!

Como você percebeu, ao priorizar o conforto para os pés, você garante mais saúde para todo o seu corpo, melhorando sua postura e seu bem-estar. Além disso, pés bem cuidados suportam melhor o seu peso, não causam dores e nem colocam seu organismo em risco. 

Gostou de saber mais sobre a importância dos pés para a manutenção de sua saúde e disposição? Então invista em seu conforto! Confira nossa linha de calçados sustentáveis e adequados para todo o tipo de ocasião!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
E RECEBA CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

Fechar Menu
Share This