Descubra como saber a origem do produto que está comprando

Oi, pessoal! Quem segue o veganismo já deve ter passado por situações como essa: parar em frente à gôndola do supermercado por vários minutos para saber se certo produto é realmente vegano ou analisar o cardápio de um restaurante em todos os seus detalhes para descobrir qual daqueles pratos respeita seu estilo de vida.

Para facilitar, algumas dicas ajudam a conhecer a origem do produto antes de levá-lo para casa ou colocá-lo na sua mesa. Além de saber como escolher um produto vegano, por exemplo, isso possibilita conhecer a procedência dele, verificar se está em condições adequadas de consumo e evitar determinados itens por intolerância aos ingredientes. Quer conhecer essas dicas? Então, leia o post!

Consulte a embalagem

O primeiro passo para descobrir se determinado produto é realmente isento de componentes de origem animal é analisando cuidadosamente a embalagem. As listas de ingredientes de produtos não veganos apresentam alguns elementos óbvios, como leite, ovos e gordura animal.

Porém, é preciso ter cuidado com nomes desconhecidos. Muitos deles escondem ingredientes indesejados, como gelatinas, albuminas (proveniente do ovo) e caseínas (originárias do leite). O mesmo vale para cosméticos, que ocultam componentes de origem animal atrás de termos como colágeno e ácido hialurônico.

Além disso, há sempre o risco desses produtos terem sido testados em animais. Para ajudar, existem alguns selos que identificam e certificam produtos veganos. Os mais conhecidos e confiáveis são o da Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) e da Vegan Society.

Os rótulos também devem apresentar outros dados de forma clara e precisa. Entre essas informações estão o local de fabricação, lote, data de validade, tabelas nutricionais e potenciais alergênicos presentes na composição, como glutén ou lactose. No caso de produtos orgânicos, existem também selos que certificam tal condição.

Pesquise e utilize aplicativos

Encontrou um produto novo no mercado e não sabe se ele é vegano? Quer uma alternativa que respeite o direito dos animais? Uma boa pesquisa pode ajudar nessas situações.

Como o veganismo cresce cada vez mais, é relativamente fácil encontrar sites com informações confiáveis sobre a origem dos produtos. Grupos compostos por pessoas com o mesmo hábito também são ótimas fontes de pesquisa, além de reunir experiências, dicas e receitas que facilitam o dia a dia.

Existem também aplicativos para smartphones que permitem a pesquisa dos nomes dos componentes para saber se eles são de origem animal. No entanto, a maioria deles está disponível apenas em inglês, como o Cruelty-Free, ou são restritos ao sistema operacional iOS, caso do VegSafe.

Entre em contato com o fabricante

Se o rótulo não está claro e a pesquisa na internet não ajudou, a saída vai ser entrar em contato com a empresa. Embora seja desanimador pensar em se comunicar com o serviço de atendimento ao consumidor, essa consulta pode dar resultados além do esclarecimento da dúvida. Com mais pessoas fazendo questão de produtos veganos, é provável que as empresas se mexam para oferecer mais opções no mercado.

Em restaurantes, pergunte sempre

De certa forma, as dicas deste post podem ser aplicadas em restaurantes que não ofereçam opções veganas. Porém, podem surgir alguns problemas, já que é comum que alguns ingredientes sejam incluídos nos processos de preparação da comida e não sejam listados nos cardápios. É o caso, por exemplo, da manteiga (utilizada em refogas), dos ovos e do leite (acrescentado em massas).

Caso não seja possível ir a um restaurante vegano, dê preferência aos restaurantes self-service. Geralmente eles oferecem boas opões de saladas e vegetais. Quanto aos outros itens, a melhor saída é perguntar. Com gentileza, é possível conversar com os funcionários do estabelecimento e descobrir se existem ingredientes “escondidos”, como nos exemplos mencionados acima.

Garantir a origem do produto pode ser um pouquinho trabalhoso, mas é a melhor saída para consumir de acordo com suas necessidades e preferências. Além disso, depois de um período, todo esse processo fica mais fácil e você nem precisará perder muito tempo para descobrir a procedência de cada mercadoria.

Quer entender por que não deveríamos usar produtos de origem animal? Temos um post no blog que explica isso com todos os detalhes!

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
E RECEBA CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

Fechar Menu
Share This