Entenda melhor o impacto ambiental que uma blusa pode causar

o impacto ambiental que uma blusa pode causar

Às vezes isso passa desapercebido, mas assim como todas as indústrias de produção em larga escala, a indústria têxtil — que abastece a maioria das lojas de roupas e fornece quase tudo o que vestimos — gera um impacto ambiental considerável.

Esse impacto pode ser maior ou menor, variando de acordo com a fibra com que cada peça é confeccionada. Ainda assim, ele sempre estará lá. Por isso, é muito importante conhecê-lo e aprender formas de reduzi-lo, pelo bem do meio ambiente. Interessado? Então continue a leitura!

Qual é o impacto ambiental causado pela indústria têxtil?

Para a produção de uma peça de roupa, a matéria-prima escolhida precisa passar por uma série de etapas, o que inclui processos mecânicos e a adição de produtos químicos. Justamente por isso, como mencionamos, cada produto gera impactos diferentes.

No geral, podemos classificar em três grupos os tipos de fibras mais empregados pela indústria têxtil:

  • as naturais (como o algodão e a lã);

  • as sintéticas (caso do náilon e do poliéster);

  • e as artificiais (a viscose e o liocel, por exemplo).

Com isso em mente, vejamos quais são os principais danos causados pela produção dessas roupas.

Desperdício de água

A maior parte dos tecidos demanda uma grande quantidade de água para ser produzido — isso vale até para aqueles confeccionados a partir de fibras naturais. O algodão, por exemplo, exige irrigações constantes enquanto é cultivado, e a lã passa por diversas lavagens, também exigindo muita água.

Poluição dos oceanos

Fibras sintéticas têm a vantagem de consumir uma quantidade de água consideravelmente menor durante a sua produção. Ainda assim, elas representam perigo para os oceanos e a fauna marinha.

O poliéster e algumas outras fibras desse tipo são uma forma maleável de plástico, mais conhecido como PET (sim, o mesmo das garrafas). Com isso, à medida que a roupa vai sendo usada e lavada, são liberadas pequenas partículas do componente, conhecidas como microplásticos.

Elas acabam, muitas vezes, parando no mar, onde são ingeridas por pequenos animais, contaminando toda a cadeia alimentar marítima e comprometendo várias formas de vida.

Utilização de agrotóxicos e inseticidas

Boa parte do cultivo do algodão depende do uso intensivo de agrotóxicos. Esses produtos afetam a saúde de quem trabalha diretamente com eles e o meio ambiente, incluindo ainda o solo e as águas subterrâneas.

Consumo excessivo de energia

Quase todas as fibras consomem uma grande quantidade de energia ao longo de todos os processos de produção. Muitas delas precisam ser lavadas em água quente, secas e passadas inúmeras vezes até chegarem ao consumidor. Isso sem contar o que é gasto com transporte!

O que pode ser feito para reduzi-lo?

Até aqui, você viu que praticamente todas as peças produzidas geram algum dano à natureza, certo? Isso não significa, contudo, que não há nada que se possa fazer para minimizar esses problemas.

Privilegie o consumo consciente. Dê preferência para peças-chaves que sejam clássicas, atemporais e mais simples de serem combinadas. Priorizar qualidade em vez de quantidade também é válido, uma vez que diminui a rotatividade das peças. A frase da estilista Vivienne Westwood se aplica muito bem nesse momento: ”Compre menos, escolha bem e faça durar”. 

Além disso, procure por marcas que produzam suas peças a partir de matérias-primas de origem certificada e sob demanda. Com isso, o consumo de material é reduzido, e o impacto ambiental gerado pelas suas roupas é reduzido drasticamente!

Então, gostou do nosso artigo? Agora, se quer reduzir o lixo produzido na sua casa, confira algumas dicas rápidas para colocar tudo isso em prática!

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
E RECEBA CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

Fechar Menu
Share This