Saiba como praticar a economia colaborativa da forma certa

Já ouviu falar em economia colaborativa, certo? Essa expressão tem se tornado cada vez mais comum, principalmente depois da internet e das mudanças que vieram com ela, como a maior troca de informações e a possibilidade de criar pequenos negócios on-line.

A raiz da economia colaborativa é justamente criar uma forma de se dividir o uso de um produto ou mesmo de dividir os custos sem que seja preciso necessariamente adquiri-lo, o que é uma forma de consumir com mais consciência. É o caso, por exemplo, dos co-workings, espaços em que várias pessoas podem trabalhar, minimizando gastos com aluguel, energia etc.

Mas será que tem como fazer parte desse universo e praticar a economia colaborativa no seu dia a dia? A seguir, a gente conta mais sobre essa revolução na forma de consumir e te mostra que é possível, sim, colaborar com a sociedade de forma consciente e sustentável.

Faça parcerias com produtores locais

Quando você compra de grandes marcas ou de produtores com os quais não tem contato, você perde o controle sobre aquilo que consome, pois não tem como assegurar a procedência dos produtos.

Além do mais, comprando de produtores locais, você dá um super apoio para a sua comunidade, que vai conseguir continuar produzindo (e muito bem!), vai gerar empregos, o que por si só melhora a vidas das pessoas que estão ao seu redor.

É claro que grandes empresas também geram empregos. Mas ajudando quem está perto de você, acaba contribuindo para que essas pequenas empresas também possam crescer. Legal, não?

Consuma produtos sustentáveis 

Segundo o WWF, sustentável é tudo aquilo que você consome hoje, supre as suas necessidades e não deixa resíduo para as gerações futuras. A ideia, então, é sempre pensar em minimizar o impacto do que você compra na natureza.

Existem muitos produtos feitos de forma sustentável, como no caso dos produtos veganos, feitos com material reutilizado, de modo artesanal e sem testes em animais. Assim como as lojas que revendem produtos usados: móveis, roupas, entre outros.

Procure aumentar a vida útil do que você consome

A gente entende que você, muitas vezes, adquire uma peça de roupa, por exemplo, e já já fica enjoada. Acontece nas melhores famílias; mas por que não fazer escolhas mais conscientes e mudar essa realidade?

É importante começar a pensar com maior cuidado no que vai fazer com o que já comprou. Afinal, essa história de jogar fora não existe, pois tudo o que descartamos continua aqui por muitos e muitos anos.

Então, o lance é sempre pensar no que vai ser feito com o que você não quer mais. Suas roupas e sapatos velhos podem ser doados (e até vendidos) para brechós e feiras de bairro. Móveis e eletrodomésticos podem ser doados para associações e igrejas que costumam ser atuantes ao disponibilizar esses produtos para quem mais precisa.

Se você tem amigos e amigas com a mesma intenção, promova um bazar junto com eles na garagem de casa. Vai ser divertido e vocês vão dar um exemplo bem legal para as pessoas do bairro.

Bacana essa história de economia colaborativa, não? Por falar em compartilhamento, que tal dividir este conhecimento com amigos e familiares? Então, compartilhe este post nas suas redes sociais!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on pinterest
Pinterest

Deixe uma resposta

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
E RECEBA CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

Fechar Menu
Share This